X
X
Licença Creative Commons
O uso do conteúdo deste blog é permitido sob
Licença da Creative Commons, Atribuição 3.0.

Arquivos sobre 'Maluquices'

Outra pequena história de amor

2 de dezembro de 2019

Meu nome é Adam, muito prazer. Estranho o nome de minha colega, Evita. Estamos ambos a caminho de Marte. Não é nosso destino, apenas um translado para uma nave interestelar. Na verdade, estamos partindo em uma missão investigativa (secreta, claro) de uma estrela que jamais deveria existir.

Leia mais ►

Belas adormecidas

3 de setembro de 2019

Deliciosamente lembrei de uma Branca que, por mais que feita de Neve…

Leia mais ►

Eita!

11 de agosto de 2019

Foto: Columbia Spectator

O cenário, claro, era de terra arrasada. Acho que acordei de um pesadelo daqueles beeem pesados. Não vi pedra sobre pedra. Não lembro mais meu nome, não sinto medo, amor, ódio. Apenas fome. Sede não, pois vejo poças fétidas. Mas ainda líquidas. Decidi sair.

Leia mais ►

Canção de nadar

1 de julho de 2019

Foto recortada de: pngtree

Hoje o mar estava calmo. Bom para navegar. Daqui até a entrada da barra daria uma hora ou pouco mais. Mas eu queria mesmo o oceano. O alto mar. Lá fora, onde o horizonte encontra o céu, com a água salgada refletindo a lua. Bem longe, enfim. Onde o sol se põe afinal.

Leia mais ►

Falando a verdade

23 de fevereiro de 2019

Desculpe, cheguei atrasado. Bem sei. É que eu estava em uma guerra espacial…

Claro! Bebeu e dormiu no trabalho. E sonhou que estava em Marte?

Leia mais ►

Pés no chão

24 de janeiro de 2018

E dar asas à imaginação, certo? Sei que lá vinha eu no meu drone, maravilhado com a lindeza da superfície e com tudo o que acontecia lá embaixo. Também sei que (claro) por trás de todo drone existe algum zé mané manuseando seu respectivo controle remoto. E mais do que nunca, fiquei sabendo que me dei mal pois quem controlava o meu remoto se distraiu.

Leia mais ►

Epitafui

24 de dezembro de 2017

Antes que eu me vá dessa pra melhor, deixa eu falar. (Isso é coisa de velho e, quanto mais velho a gente fica, mais mentira pode contar.)

Conheci a dona morte desde manhã cedinho, ainda cantando canção de ninar. E a dona morte era bem bonita, sabe? Bonita de arrepiar. De tão bonita, ela me fez foi abrir os olhos e acordar. Mas não deu em nada porque era só vontade de mijar.

Leia mais ►

Obituária

12 de outubro de 2017

Existem teorias de mundos paralelos. Algumas razoavelmente explicadas, outras nem tanto. Mas todas apontam para a possibilidade de que não vivemos em um mundo solitário. Mesmo porque há quem defenda que, ao morrermos, passamos para outra vida em algum outro mundo. E que viemos de alguma outra vida, vá lá que seja.

Leia mais ►

Apenas criando um texto (1)

28 de setembro de 2017

Comecei a pensar em algo que fosse sobre criar. Meio que artisticamente, digamos. Então, ocorreu-me que esse velho verbo depende muito de você ser uma divindade ou um simples papai ou mamãe. Porque uma divindade é capaz de criar sim, uma humanidade, um mundo, o que ela quiser. Pais e mães só criam filhos, por óbvio.

Leia mais ►

Apenas criando um texto (2)

27 de setembro de 2017

Criar pressupõe criatividade. Somos apenas humanos e podemos iludir, plagiar, manipular, doutrinar. Podemos fazer guerras e dizer perdemos, uai. Podemos impor, discordar, reclamar. Podemos planejar, punir, perdoar. Podemos dissimular. Podemos tanta coisa que ainda falta fazer. Apenas porque somos meros mortais?

Estou na mesa dos jurados e a nossa porta se abre para a primeira divindade. Ela se apresenta bem gordo (sim, divindade é feminino mas prevalece o masculino) e com ar de muita sabedoria, declarando-se um modesto candidato muito feliz em participar do nosso reality. Pergunto sobre o texto. O texto? O que? Sim, trouxe algum?

Leia mais ►

Return to Top ▲Return to Top ▲